• os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

Postado por

O Instagram deixou de ser uma ferramenta apenas de fotos, pra mim virou uma página de inspirações, onde eu consigo seguir pessoas e marcas que me inspiram e fazem com que eu tenha novas ideias, desejos e conheça muita coisa nova.

Um deles que descobri recentemente foi o View from the Topp da Kate Brien, uma stylist super gata de Los Angeles (ela fez o ensaio “art socks” que publicamos aqui) que é famosa pelos seus cliques “de cima” no seu feed do Instagram, onde ela mostra seu estilo effortless e tomboy, além da sua invejável coleção de sapatos.

É impossível não percorrer quase todo o perfil e mais ainda cobiçar os múltiplos pares de sapatos fotografados diariamente.

Ela também tem um Tumblr onde ela compartilha todas as fotos from the top, trabalhos realizados como stylist, e ainda conta com um e-shop com algumas das peças usadas pela moçoila.

Não consegui me conter na seleção de imagens, então se preparem pois a galeria está cheia, rs! Mas garanto que vocês não irão reclamar, as fotos são lindaas!

Bia é apaixonada pelo que faz! Idealizadora do site "os Achados", atua também como editora de moda, stylist e consultora criativa.
  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Buongiorno Napoli!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Baía de Nápoles

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Castel dell'Ovo

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: A placa na porta do prédio do hotel onde me hospedei, a resistência italiana!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: A TV no meu quarto. Proposta moderninha.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Andiamo a Napoli

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Primeiro dia, enquanto tomava um capuccino: duas noivas! Na mesma rua!

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Vista parcial de Nápoles a partir das colinas.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Cheguei aqui por uma linha do funiculare. Há várias linhas deles. Adorei!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: O poderoso Vesúvio. Tão perto...

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: A cor predominante é o amarelo em meio aos tons terrosos

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Não cheguei em tempo de visitar o Castel Sant E' lmo

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Estação Dante. O círculo azul é um buraco que vai até o nível da rua. A ideia é criar uma sensação "deep blue" .

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Trechos da obra de Dante na estação

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Mais uma instalação no metrô. Essa é de um artista de Nova Iorque

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: A arquitetura preservada. Essas "mini pontes Vecchio" me encantam Itália!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Aha! O autêntico espaguete napolitano no Gambrinus, o famoso café frequentado por Oscar Wilde.

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Opa, momento yoga assim no meio da rua em Nápoles?!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Uma casa ainda em bom estado

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Grandeza e beleza na cidade fundada pelo gregos, tomada pelos etruscos, fenícios e por último dominada pelos romanos

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Uma das fontes originais ganhou uma torneira nova

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Paisagem que faz você pensar em como seria a vida aqui no séc. 79dC antes da tragédia

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: O auditório! Pronto para ser usado

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Colunas e mais colunas

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Esse lugar especialmente me lembrou o Palatino, de Roma

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Muitos afrescos estão em bom estado ou sendo restaurados

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: E contam informações sobre os costumes e cultura de Pompéia

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Bandeira brasileira?

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Uma casa maior, de alguém mais importante. Notem o mosaico no chão e o pequeno quadrado onde era um espelho d'água

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Uma paisagem sublime se você não pensar no estrago que o Vesúvio fez

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Salas como estas são comuns. Estão trancadas e é aonde são guardadas as descobertas arqueológicas. As condições de preservação desse patrimônio arqueológico não são das melhores, infelizmente.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Outro prédio importante que teve as colunas destruídas.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Não é pra menos que o pessoal gostava daqui

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Ainda hoje há novas escavações e descobertas, mas sofrem com a falta de apoio e investimentos.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Herculano!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Parece que esse túnel, era uma mina e serviu de rota de fuga para os que conseguiram escapar.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Uma estátua muito bem preservada.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Aqui também afrescos belíssimos.

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Há vida em Herculano!

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Uma rua importante da cidade.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: A beleza da arte.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Fornos e cozinha! As pessoas viviam em coletividade.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Alguns lugares realmente são belos.

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Um jardim recuperado no pátio de alguma casa importante, e acima as casas atuais, habitadas, a poucos metros do Vesúvio.

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Aqui dá pra ver bem como Herculano ficou soterrada! É impressionante.

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Imagina morar ali e ter Herculano (e o Vesúvio) como vizinhos?!

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento

  • os Achados | Comportamento CRÉDITOS: Dorme Vesúvio...

  • os Achados | Comportamento

Postado por

Se sua ideia sobre Nápoles se resume à pizza, tarantela, San Gennaro, roupas penduradas nas janelas e… à máfia (opa, que ninguém nos ouça), surpresa… Sim, é isso, mas muitas outras coisas legais.

Nápoles não fazia parte do meu roteiro, assim, pra ficar… Eu pensei em fazer um “check in/out” rápido – desembarcar e embarcar na estação de trem, comer uma pizza, olhar a baía, dar uma volta e ciao. Mas quando estava em Sorrento decidi estender minha estadia e montar minha base lá para conhecer Pompéia  e Herculano que ficam praticamente no meio da viagem entre uma cidade e a outra pela linha Circunvesuviana! Sim, a linha do Vesúvio. Já estava mesmo no clima do sul da Itália, e mais que isso, tenho raízes em Nápoles. Meus bisavós por parte de pai, Francisco Antonio Scorse e Filomena Severino, e minha avó Josefina, eram napolitanos. Vieram para o Brasil e Josefina se casou com Rynaldo Terenzzo (há indícios que o correto seja Terenzi ou Terencio),  também italiano, e da Calábria. Tinha ouvido falar especialmente mal sobre Nápoles – caótica, suja, perigosa, grosseira. Mas resolvi “correr o risco”, honrar a cidade que originou parte do meu DNA e conhecer mais sobre Partenope, a Riviera dos romanos da antiguidade, que depois veio a se chamar Napoli! Pois é, aquele meu livro, “Férias Pagãs” ainda me acompanhava.

Fiquei hospedada num lugar bacana e bem localizado. Pertinho da Via Toledo, no centro histórico que, como tudo, na Itália também, é patrimônio da Unesco, e onde só circulam pedestres. E bem perto da estação de metrô Dante para garantir o acesso fácil à Circunvesuviana.  A primeira surpresa foi chegar no hotel: no 4o andar de um prédio bem antigo… já me imaginei arrastando a mala, mas não, pude contar com um elevador charmoso, daqueles que não se vê mais, bastava colocar uma moedinha de 10 cents de euro! Curti esse “improviso”, coloquei minha mala mas desconfiada preferi subir de escada. Logo depois descobri que o prédio não era só mais um prédio antigo, ele tem também uma importância sócio-política contra o fascismo! Pronto!!! Saí inspirada para descobrir minha porção napolitana.

Nápoles é uma cidade grande. Descobri que é a terceira cidade mais populosa da Itália, perde para Roma e Milão. Bem menos turística que Roma, à primeira vista é tão barulhenta e bagunçada quanto mas depois tudo me pareceu… fácil. É uma cidade “viva”. As casas e apartamentos mais antigos, próximas ao centro histórico, estão no alto da cidade, nas colinas! Adorei isso. São elas que formam aquele skyline de “casas penduradas” especialmente bonito se visto a partir do mar.

Não posso dizer que me aventurei tanto assim, mas caminhei o bastante, usei o transporte público, fui na lavanderia, conversei com pessoas no metrô, me senti bem à vontade, exceto pelos sustos constantes com as scooters que surgem das ruelas “meio do nada”. E dei muitas risadas (e me identifiquei) com o “humor mal humorado” despachado irônico dos napolitanos. Como no dia que parei numa doceria linda e vi meu doce italiano preferido, o canoli siciliano (que só compete com o tiramisu)!!!! Pedi para a atendente naquela tentativa de um italiano arrastado, “per favore uno cannoli sicilliani”. E ela olhou bem pra mim e respondeu: “che cannoli sicilliani? Qui abbiamo solo napolitano!!!”. E caímos as duas na risada. Ou como o dono da loja de queijos e frios aonde parei para comprar um panini, que pensou que eu era italiana e quando falei que era brasileira mas que era neta de uma napolitana, fez uma festa e pediu pra tirar uma foto comigo. Nápoles é divertida!!!!

Muitas igrejas (muitas mesmo), museus, exposições e eventos na cidade. Mas eu queria focar em Pompéia e Herculano. Meu interesse talvez fosse menos histórico e mais “romântico-aventureiro” – sou meio fascinada por vulcões, provavelmente influenciada pelas histórias de Julio Verne. Comprei os ingressos antes e reservei uma parte do dia seguinte só para Pompéia e o resto para Nápoles! Queria meus momentos de calma para sentar num café e ficar sem fazer nada. Confesso que estava bem cansada também de tantas informações, de tirar fotos, mas como não conhecer? Conhecimento sempre é sedutor e irresistível…

POMPÉIA

Todo mundo já ouviu falar sobre Pompéia e Herculano, as cidades destruídas pelo Vesúvio no ano 79dC. As cidades ficaram adormecidas séculos e foram descobertas somente no século 16. Já o Vesúvio deu um pouco mais de trabalho, mas desde 1944 está lá, calmo, tranquilo… entretanto, dizem que deve entrar em erupção novamente num futuro próximo. Pompéia era uma cidade importante, tinha pouco mais de 20 mil habitante e através de pesquisas e indícios arqueológicos durante sua existência foi a cidade dos prazeres dos romanos da alta classe média. Por conta disso, os  religiosos da época atribuíram a tragédia à fúria dos deuses que resolveram castigar Pompéia pelo seu estilo de vida.

Exploradores mais atentos, após sua visita, contam com detalhes sobre as casas, placas das casas, as funções de cada peça encontrada, e com quase todos que conversei que estiveram lá, antes durante e depois, todo mundo quer saber onde era o prostíbulo… Ora, pensei, deixemos os mortos em paz. Confesso que minha visita não seguiu assim. Não havia mapas disponíveis e não queria ficar “refém” de guias ou de um audio-guide. Pompéia é graaande e o Sol estava impiedoso. Impossível lembrar ou anotar tantos detalhes. Fiz uma breve pesquisa na internet antes e segui meu caminho, mais de olho na paisagem e nos detalhes que renderiam boas fotos.

HERCULANO

Herculano é bem menor que Pompéia, era habitada por cerca de 4 mil pessoas mas mais próxima ao Vesúvio. De acordo com as pesquisas científicas ambas as cidades foram destruídas em 24 horas. O vulcão começou a expelir rochas e material vulcânico atingindo Pompéia e poupando Herculano, por conta do vento. O vulcão não demonstrava apresentar perigo, até que houve uma explosão maior e em questão de minutos Herculano foi totalmente soterrada pelas lavas vulcânicas. Isso, ironicamente, fez com que a cidade se mantivesse mais preservada e portanto hoje, mais bacana de ser estudada e admirada. Já Pompéia foi sendo destruída ao longo de 24 horas. O fato interessante disso tudo, e que eu não sabia direito, é que essa foi a primeira tragédia tóxica vamos dizer assim,  que a humanidade viveu. O que matou na verdade a população das cidades foi uma nuvem tóxica de cinzas e gases – as pessoas morreram asfixiadas e depois queimadas.

As principais descobertas das cidades estavam em Londres, no British Museum na exposição “Life and death”. Como depois acabei voltando para Londres (pronto já contei!!!) aproveitei minha estadia lá e fui ao British concluir minha visita,

(Herculano conta hoje com apoio da Inglaterra, acho que do próprio British Museum, nas pesquisas arqueológicas e conservação da cidade).

O sentimento de liberdade é realmente estranho. Pode confundir e fazer você “entrar em pânico”. Chegou o dia de deixar Nápoles, eu mesma queria partir, mas não sabia para onde… Simplesmente fiquei lá cinco dias e fui deixando para decidir depois e então chegou o dia e fiquei lá na estação de trem, parada, sozinha. Me senti o personagem do Tom Hanks no filme “Terminal”, sabe? Só que nada me prendia a não ser minha própria indecisão. Vontade, eu tinha de ir para todos os lugares. Mas tinha que escolher um. Uma opção era pegar um barco, uma ferry boat, e ir para Sicília. Outra opção, que surgiu de repente, era ir para Bari encontrar um amigo que ia participar de um festival de arte, tocando com um grupo de brasileiros. Ou eu podia seguir para Veneza… Faltava Veneza no meu roteiro! Mas já era alta temporada e algo me dizia que eu ia ficar louca e aborrecida com tantos turistas além de mim mesmaVeneza agora não, pensei, Veneza quero só pra mim (até parece, risos). E havia a possibilidade de ir para Amsterdã. Uma amiga e sua família acenaram quando coloquei os pés na Europa, “vem pra cá”. E claro, Londres, que já considero meu segundo lar.

Eu estava empolgada em permanecer na Itália, al mare, mas a opção de Bari “travou”. Ficou uma coisa é mas pode não ser, e entreguei pra vida, literalmente, até que chegou esse dia… eu não sabia se pegava um barco, um avião ou um trem, e confesso, passei uma tarde literalmente parada! De repente deu um cansaço. Mental  físico e emocional.  Homesick, dizem. Ou no nosso idioma, saudades! Saudades “de casa”. Ou de uma casa. Me rendi à oferta de casa com cara de casa, colo e aconchego metza brasileiros metza holandeses da Arlete, da Stephanie e da sua família linda, naquela delícia de cidade que é Amsterdã.

 

KT é ex-executiva de marketing, sagitariana, adora viajar, é do papo-cabeça, das letras, da fotografia e do cinema. Não abre mão da prática do yoga e acredita num mundo melhor.
  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

  • os Achados |Decoração

Sempre tivemos curiosidade de saber como é por dentro das casas de nossos clientes. O que eles fazem? Quais seus hobbies? O que é indispensável na decoração?

Resolvemos fazer essas perguntinhas diretamente aos queridos Sir Thadeu Guadagnin (Belo Horizonte-MG), e Miss Carol Moreira (São Paulo-SP).

E o que esses dois tem em comum?

Além dos Bulldogs gordinhos, eles já kolaram e abusaram dos nossos adesivos de parede, mas acima de tudo, capricharam na decoração de suas casas com criatividade e personalidade.

Kola: Quem são Carol Moreira e Thadeu Guadagnin?

Carol: Sou uma nerd de 26 anos, formada em Cinema e trabalho no site Omelete. Gosto de dançar, ir pra barzinhos e claro, ver filmes e seriados.

Thadeu: Sou estudante de Publicidade e Propaganda, tenho 23 anos, sagitariano. Adoro cinema, bons livros, reunir os amigos (para qualquer coisa), gastronomia e viajar pelo mundo.

Kola: O que fazem para se divertir em casa?

Carol: Amo ficar no sofá vendo seriados com meu buldogue francês. Receber amigos pra tomar uns drinks é sempre bom também. Ah, eu amo me maquiar e ficar me arrumando na penteadeira! haha

Thadeu: No meu tempo livre em casa adoro receber e cozinhar para os amigos. Assisto em média 3 filmes por semana. Música aqui também não falta, do Jazz ao Hip Hop, é só abrir a porta que o a melodia dura o dia inteiro. Também tenho um cachorro da raça Bulldog Francês, no qual eu passo um bom tempo dando muitas gargalhadas.

Kola: Muito bem, derreti com os cachorrinhos. Agora imaginem que vocês são os decoradores do momento e vão decorar a minha casa. Qual é estilo de Carol Moreira e Thadeu Guadagnin?

Carol: Acho que meu estilo é moderno e colorido. Gosto de colocar as minhas nerdices à vista e acho importante ter conforto e praticidade também. Ah, eu sigo o Feng Shui!

Thadeu: Como já morei em vários países, meu estilo em decoração sempre aparece souvenirs que relembrem a idéia de viagem, mundo e liberdade. Sou amante do mundo e mostro muito isso nos detalhes da minha casa. Meu estilo é mais urbano despojado, muito do que vocês viram nas fotos da minha casa, transmite o que sou.

Valeu, Carol e Thadeu. Quando eu for decorar minha casa, mando um e-mail. No mais, desejo amor e alegria na casa e na vida de vocês!

A casa da Carol veste:

Na sala, Papel de Parede Adesivo Pixel Concreto

No quarto, Papel de Parede Adesivo Pixel Colorido

A casa do Thadeu veste:

Na sala de jantar, Adesivo de parede Lousa Diálogo 2

Na sala, Adesivo de parede Mapa Mundi Azul

No corredor, Adesivo de parede Bulldog 3

 

 

 

Kola - www.shopkola.com.br
  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

Postado por

A Cris Girardi, nossa Gerente Comercial, trouxe essa ideia de pauta para o Achados, que eu achei incrível! Convidei ela para escrever, e quem sabe vamos ver mais posts dela por aqui. ;)

Semana passada me deparei com um post no Update or die com um vídeo sobre uma palestra do TED onde a modelo Cameron Russell dizia que era apenas” uma menina bonita e magrela que ganhou na loteria genética” – pãn.

Resolvi assistir ao TEDTalk e me surpreendi, e muito, com aquela “menina bonita e magrela” que dizia algo que fez muito sentido pra mim – eu, que sou uma “menina mortal”, mas principalmente para o eu “mulher”. A moça diz que mesmo ela, abençoada pela genética, tem os seus dias ruins onde se sente infeliz e mal consigo mesma, como qualquer uma de nós, “mortais”…

Esse vídeo é de 2012, portanto me perdoem pela notícia não ser “quente”, mas eu nunca tinha visto.

Cameron, que começa tímida e troca o modelito “on stage” (acho que é uma coisa normal para as modelos), por um bem mais confortável (a.k.a. sapatilha, uma amada e velha conhecida minha – odeio salto rs) começa a contar a história da sua carreira de modelo, mostrando claramente a diferença entre o que é real e o que é irreal e absolutamente construído pela mídia nas nossas cabeças sobre a vida e imagem de modelo.

Ela mostra uma de suas primeiras campanhas onde usa uma calça jeans “super sexy”, agarrando um modelo masculino “super sexy”, e fazendo cara de “super sexy” – ao mesmo tempo em que explica que na época, ela nunca tinha tido um namorado na vida, e estava se sentindo super esquisita e desconfortável, enquanto o diretor dizia para o modelo agarrar sua bunda, etc e tal… Cameron joga na nossa cara, o quanto uma imagem é poderosa e ao mesmo tempo superficial. E me fez pensar também qual o real significado da “beleza e da imagem”.

Cameron diz que dentro dos padrões de beleza, ela é bonita e está tirando vantagens disso.

Mas digo, na minha humilde concepção sobre o assunto, que fiquei feliz em ver uma modelo dando esse depoimento tão honesto e simples. Fiquei feliz porque isso significa um movimento que já está acontecendo no mundo para mudar esses padrões ou ao menos conscientizar as pessoas e mulheres mundo afora. Feliz, pois faz parte do “Manifesto pela beleza real das mulheres”, sem ilusões ou photoshop de mais.

Sinceramente, eu não conhecia a Cameron. Dei um Google nela e achei fotos incríveis de campanhas para marcas como Calvin Klein, Prada. Armani, Victoria’s Secret, H&M (na nossa galeria de fotos, algumas delas) entre outras. Cameron ganhou a minha admiração como mulher, não só pela sua beleza, mas principalmente pela atitude.

Nós, da Equipe os Achados, acreditamos e incentivamos muito essa maneira de pensar e de viver. Por isso, convido você, que também é uma “mulher mortal e real” para pensar 5 minutos sobre o assunto e se amar. Se amar mesmo, com todos os defeitinhos que você acha que tem, e amar não só o corpo ou aparência, mas a sua vida, personalidade, individualidade e qualidades como pessoa e mulher, que só você tem! :)

Bia é apaixonada pelo que faz! Idealizadora do site "os Achados", atua também como editora de moda, stylist e consultora criativa.
  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

  • os Achados | Moda

Postado por

Nossa top fotógrafa Driely S. visitou a loja da People of 2morrow em New York, e clicou tudo para o Achados.

Inaugurada em novembro de 2013, a People of 2morrow é uma boutique super moderninha de compra, venda de roupas (femininas e masculinas) e alguns objetos cuidadosamente selecionados. Muitas peças vintage, algumas peças de design, acessórios, enfeites para a casa e muito mais…

A marca oferece roupas exclusivas e objetos de designers locais e do mundo, espiando as décadas anteriores e cuidadosamente selecionando peças raras ​​que fazem sentido hoje, como uma moda mais consciente. Show!

 A loja é linda, super a minha cara – acho que vocês conseguem me imaginar vestindo os sapatos, batas, colares… Tenho certeza de que vocês também irão se encantar com as fotos.

Na próxima viagem a Big Apple vou ter que passar por lá. =)

Bia é apaixonada pelo que faz! Idealizadora do site "os Achados", atua também como editora de moda, stylist e consultora criativa.